A fisioterapia domiciliar é aplicada a pacientes que não necessitam de internação iminente, é uma modalidade de atendimento programado. Para...

Benefícios da Fisioterapia Domiciliar Infantil





A fisioterapia domiciliar é aplicada a pacientes que não necessitam de internação iminente, é uma modalidade de atendimento programado.

Para se destacar no mercado é fundamental prestar uma variedade maior de serviços, e entre eles está a fisioterapia domiciliar. Mais cômoda para muitos pacientes e mais vantajosa financeiramente para os fisioterapeutas, essa pode ser uma ótima maneira de ampliar a sua atuação e conseguir mais pacientes.

A fisioterapia domiciliar apresenta muitas vantagens para quem utiliza dos seus serviços, como:

tratamento especializado e individualizado;
praticidade, comodidade e bem-estar;
integração da família no tratamento e maior cooperação do paciente;
economia de tempo e de recursos financeiros;
recuperação mais rápida

A Fisioterapia domiciliar é basicamente igual a fisioterapia convencional, porém com maior flexibilidade de horários com a finalidade de atender às necessidades individuais de cada paciente. Em alguns casos, o paciente não tem condição de ser levado até a clínica e por essa razão é importante que o tratamento seja iniciado no conforto de sua casa e na presença de pessoas próximas.

Para que o tratamento seja completo, é preciso o fisioterapeuta ter atenção em alguns aspectos. Por exemplo:

  • avaliar muito bem o local em que as atividades serão realizadas, conferindo o layout dos móveis, a presença de pisos ou tapetes escorregadios e se existe a possibilidade de realizar os exercícios ou as atividades de forma segura naquele ambiente;
  • incluir a participação familiar, garantindo que o paciente realizará os exercícios ou as atividades propostas, aumentando a adesão ao tratamento e a velocidade dos resultados;
  • explicar muito bem cada atividade ou interação com o paciente, garantindo que todos terão informações suficientes para compreenderem o que será feito e a importância da cooperação para que os resultados apareçam.

Independente da área que o fisioterapeuta irá atender a criança (neurológica, ortopedia, respiratória...), os aspectos apresentados acima devem ser considerados na avaliação global não só do paciente mas também do ambiente.

Para o responsável do paciente, essa é uma modalidade que apresenta vários benefícios pois há redução de custos com locomoção e torna-se extinto qualquer transtorno causado pelo tempo de espera por uma consulta, que dá lugar à maior flexibilidade de horário e à redução do risco de contrair infecção hospitalar. Não há desorganização da agenda da criança além de trazer mais privacidade.

Depois de ler alguns textos que falam de resultados judiciais com a demanda de fisioterapia a domicilio pelo SUS, pude concluir que não é fá...

Fisioterapia Domiciliar pelo SUS




Depois de ler alguns textos que falam de resultados judiciais com a demanda de fisioterapia a domicilio pelo SUS, pude concluir que não é fácil consegui-la. Há (poucos) municipios que conseguem usar o SUS para beneficiar moradores e poucos fisioterapeutas inscritos para atender essas pessoas.

Para quem necessita de fisioterapia domiciliar, é necessário questionar se o Estado tem esse serviço e pedir a marcação. O Sistema Único de Saúde (SUS) só é obrigado a custear tratamento médico domiciliar caso seja comprovada a impossibilidade do paciente de locomover-se até a unidade de saúde.

Nem sempre os hospitais indicados pelo SUS são públicos: existem hospitais e clínicas particulares conveniadas, ou seja, os seus fisioterapeutas também atendem gratuitamente por conta de contratos com o Ministério da Saúde ou secretarias.

Vale reforçar que o cidadão atendido em uma clínica particular conveniada não precisa pagar nada. Tanto nos hospitais públicos quanto nos credenciados, o paciente começa com uma quantidade fixa de sessões de fisioterapia e, depois delas, precisa ser avaliado de novo.

Se o especialista considerar que o tratamento deve continuar, o paciente terá mais um "pacote" de sessões.

Mesmo sendo um direito dos cidadãos, há casos em que o SUS não libera o acompanhamento com fisioterapeuta.  Também é possível que o hospital ou a clínica aleguem que estão sem profissionais ou materiais.

Sendo assim, é melhor que o cidadão procure a Secretaria de Saúde da cidade ou Estado e faça uma reclamação formal.

Se os órgãos em questão não resolverem, a pessoa pode ir ao fórum e solicitar o atendimento fisioterapêutico por vias legais.

Essa opção é muito indicada quando existe urgência no início das sessões de fisioterapia: é o caso de quem precisa dela para melhorar a respiração ou aumentar as chances de recuperar movimentos.

Cartão do SUS

A marcação de fisioterapia só é autorizada a quem tem o cartão SUS, que é feito em qualquer hospital ou UPA com os seguintes documentos:

  • Comprovante de residência;
  • Documento de identidade;
  • Certidão de casamento ou nascimento;
  • CPF.
A Atenção Domiciliar proporciona ao paciente um cuidado ligado diretamente aos aspectos referentes à estrutura familiar, à infraestrutura do domicílio e à estrutura oferecida pelos serviços para esse tipo de assistência. Dessa forma, evita-se hospitalizações desnecessárias e diminui o risco de infecções. Além disso, melhora a gestão dos leitos hospitalares e o uso dos recursos, bem como diminui a superlotação de serviços de urgência e emergência.